Dourados/MS, Quarta-Feira, 12 de Dezembro de 2018 |
27˚
(67) 3042-4141
Polícia
Terça-Feira, 04 de Dezembro de 2018, 09h:24
Tamanho do texto A - A+

Depósito que guardou duas toneladas de maconha é incendiado

Homem havia recém feito ameaças à dona do local por causa de dívida

Laura Holsback
Capital News

 

Osvaldo Duarte/Dourados News

Depósito que guardou duas toneladas de maconha é incendiado

Todo o material que havia no depósito e máquinas foram perdidas

 

Inquérito policial foi aberto para investigar incêndio em um depósito de produtos recicláveis que já esteve nas páginas policiais. Ele fica na rua Dom João VI, entre a Major Capilé e avenida Weimar Gonçalves Torres, em Dourados. O fogo foi ateado na noite desta segunda-feira (3) e a dona do local, de 53 anos, disse ter sido criminoso. Segundo o site Dourados News, em abril deste ano policiais apreenderam no prédio duas toneladas de maconha.

 

A dono disse que estava em casa, no Jardim Ouro Verde, e um homem, de 42 anos, chegou para cobrar dívida de R$ 152. Como ela não abriu o portão, o homem pulou o muro e ateou fogo em vários objetos que estavam no imóvel. 

 

Segundo ela, ele continuou as ameaças e após a dona da casa chamar policiais, o homem fugiu. Momentos depois, a proprietária do depósito recebeu telefonema avisando sobre o incêndio.

Equipe do Corpo de Bombeiros conteve as chamas, mas todo o material foi queimado e pelo menos duas máquinas de prensa também foram perdidas. 

 

Ainda não há confirmação se o incendiário foi o mesmo homem que recém havia estado na casa da dono do depósito.

 

TRÁFICO

No dia 24 de abril, uma ação conjunta entre policiais militares e federais terminou com a prisão em flagrante de 10 pessoas. 

 

O flagrante aconteceu no Jardim Guanabara durante a madrugada, quando durante abordagem dos policiais, cães farejadores encontraram a droga em um caminhão da empresa, revelando esquema de tráfico através do transporte de recicláveis. 

 

Durante as ações da polícia, descobriu-se que a droga era embalada em meio aos recicláveis. No galpão, localizado no mesmo imóvel alvo de incêndio, funcionário afirmou que parte da carga de recicláveis já vinha embalada de outra cidade e que não tinha conhecimento do entorpecente.

 

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix