Dourados/MS, Sábado, 21 de Julho de 2018 | 05:35
27˚
(67) 3042-4141
Política
Sexta-Feira, 22 de Dezembro de 2017, 10h:03
Tamanho do texto A - A+

Prefeitura paga 13º de parte dos servidores e protestos devem continuar

Novo movimento do funcionalismo municipal está previsto para essa sexta na área central da cidade

Rogério Vidmantas
De Dourados para o Capital News

Adalberto Salvador

Protesto Dourados

Servidores da Guarda Municipal ainda devem esperar pelo 13o salário

 

Uma parte dos servidores municipais de Dourados das áreas de saúde e educação receberam o 13º salário ainda nesta sexta-feira (22). A informação foi confirmada pelo secretário municipal de Fazenda, João Fava Neto. Em nota publicada no site oficial da Prefeitura, ele aponta a crise como impedimento para se pagar todo o funcionalismo.

De acordo com o secretário, com recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação Fundeb) será pago o 13º de 2.655 professores e, com recursos da Média e Alta Complexidade (MAC), do Governo Federal, será possível pagar os profissionais da área da saúde, num total de 1.072, que recebem até R$ 3.400,00 líquidos.

Fava afirma que o aumento de R$ 64 milhões na folha salarial em 22017 pela implantação do Plano de cargos e Carreira implantada na gestão anterior foi o causador dos atrasos no pagamento de salários nos últimos meses e agora do 13º. “Lutamos com muito esforço todo este ano para que essa situação não acontecesse, mas Dourados, como muitas outras cidades e Estados do país, vive uma realidade muito árida”, resumiu.

Protestos

O atraso no 13º salário gerou protestos de parte do funcionalismo que, convocados pelos diversos sindicatos da categoria, se reuniram na Praça Antônio João, na manhã desta quinta e caminharam pela área central da cidade carregando faixas e cartazes, a maioria citando a prefeita Délia Razuk como responsável pela não-pagamento.

Nova movimentação está prevista para a tarde desta sexta. Apesar do pagamento de parte dos servidores, funcionários de outras áreas devem manter o protesto planejado. “Não sabemos qual foi o critério para pagar. Muita gente reclamando que recebeu um valor muito abaixo do devido”, explica Gleice Barbosa, presidente do Sindicato dos Trabalhadores Educação de Dourados (Sinted).

De acordo com a dirigente sindical, apenas parte dos professores foi contemplada e os funcionários administrativos não estão nesta lista. "Por isso vamos manter a concentração, às 17h, na Praça Antônio João", completou.

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix