Dourados/MS, Terça-Feira, 24 de Setembro de 2019 |
27˚
(67) 3042-4141
Cotidiano
Sexta-Feira, 06 de Setembro de 2019, 15h:12
Tamanho do texto A - A+

Em Dourados, homens lideram a taxa de suicídio

Entre janeiro e agosto de 2019, foram 13 casos registros

Elaine Silva
Capital News

Divulgação/ Sems

Prefeitura de Dourados realiza ações no combate ao suicídio

Campanha Setembro Amarelo

Segundo estudo realizado pela Universidade Federal da Bahia, homens brasileiros têm 3,7 vezes mais chances de se matar do que as mulheres. Conforme a Organização Mundial da Saúde, no Brasil entre 2011 e 2016, 62.804 pessoas tiraram a própria vida, 79% delas homens e 21% mulheres. De 13 casos de suicídio registrados em Dourados entre janeiro e agosto deste ano, 10 foram cometidos por homens. O elevado índice repete os registros durante o mesmo período em 2018, onde das 15 ocorrências comunicadas à polícia, 13 tinham como vítimas pessoas do sexo masculino.

A psicanalista Vanessa Figueiredo explica que isso ocorre devido à indisposição do sujeito homem em buscar apoio emocional. A concepção cultural de machismo, sugerindo que o homem não deva sofrer, torna a distância entre as vítimas de depressão e outras doenças psicológicas cada vez maior das clínicas de terapia. De acordo com o site, Dourados News divulga neste mês uma série de reportagens alusivas ao Setembro Amarelo, campanha de combate ao suicídio.

Conforme a Delegacia Regional de Polícia Civil em Dourados, de janeiro a agosto de 2019 foram registradas 13 mortes autoprovocadas. Dessas, a maioria aconteceu entre a faixa etária dos 35 aos 64 anos (8). Até 17 anos uma morte foi lavrada; de 18 a 24 dois casos e de 25 a 34 outras duas ocorrências. A maioria dos incidentes ocorreu em residências (5 mortes), seguida de ocorrências na reserva indígena (4), em vias urbanas (3) e no Distrito Policial (1).

Os dados em 2018 mostram redução de dois casos durante o mesmo período. No entanto, o índice de suicídio indígena permaneceu o mesmo. Em residências foram 9 mortes, um registro em escola pública e outra morte em presídio.

Naquele período, as ocorrências se concentraram na faixa etária dos 35 a 64 anos (7), seguida de 4 óbitos entre jovens de 18 a 24 anos, duas mortes com vítimas entre 25 e 29 anos e um suicídio entre as idades de 17 a 23 e 30 e 34. Ao longo dos últimos cinco anos, ocorreram 91 casos de suicídio na maior cidade do interior do Estado.

 

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix