Dourados/MS, Segunda-Feira, 11 de Novembro de 2019 |
27˚
(67) 3042-4141
Cotidiano
Quarta-Feira, 16 de Outubro de 2019, 10h:31
Tamanho do texto A - A+

Secretária diz que repasses para Saúde de Dourados estão atrasados

Hospital da Vida atende mais de 30 municípios com déficit mensal de R$ 1,8 milhão

Rogério Vidmantas
Capital News

Assecom

Berenice Dourados

Secretária de Saúde Berenice de Souza diz que repasses dos últimos meses estão atrasados

Na semana em que terá a visita do ministro da Saúde com a possibilidade de recursos, a secretária municipal de Saúde de Dourados, Berenice Machado de Souza, voltou a lamentar a situação financeira do Hospital da Vida e o volume de pacientes que recebe de toda a região sul do Estado e até do Paraguai. O ministro Luis Henrique Mandetta é esperado na próxima sexta-feira (18).

 

O HV tem trabalhado com um déficit mensal de aproximadamente R$ 1,8 milhão e, segundo a secretária, um dos motivos é o atraso constante nos repasses do Governo Estadual. “Em setembro recebemos o dinheiro de julho e os repasses de agosto e setembro não existe previsão de acontecer”. Ela rebate, inclusive, afirmação da Secretaria de Saúde do Estado de que os repasses estariam em dia. “Não é verdade”, disse. 

 

De acordo com Berenice, uma mudança na gestão de Saúde ajudaria na solução do problema, repartindo com o Estado a responsabilidade de atender os pacientes de mais de 30 municípios que são direcionados para Dourados. “Não temos estrutura para cuidar dos pacientes dos municípios da região e não dá para ficar sempre pedindo esmolas para o Governo do Estado”. Com a devolução da “gestão plena”, a Secretaria de Saúde de Dourados, conforme Berenice cuidará das unidades de saúde, a chamada atenção básica, a UPA e o Hospital da Vida.

 

No início da semana, a prefeita Délia Razuk disse que a vinda do ministro da Saúde gera expectativa em relação ao direcionamento de novos recursos para a pasta, principalmente depois de estudo feito pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) em diversos municípios do interior do Estado, identificando problemas que poderiam ser solucionados com maiores investimentos. 

 

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix