Dourados/MS, Segunda-Feira, 21 de Outubro de 2019 |
27˚
(67) 3042-4141
Cotidiano
Quinta-Feira, 03 de Outubro de 2019, 16h:36
Tamanho do texto A - A+

Software pode ajudar no diagnóstico de câncer de mama

Desenvolvido com Técnica de Inteligência Artificial

Laryssa Maier
Capital News

Arte/Divulgação

SAD abre inscrições para palestra de combate ao câncer de mama e útero

 

Pesquisa propõe desenvolvimento de software para auxiliar diagnóstico de Câncer pela mamografia, com o objetivo de ajudar no diagnóstico médico, o projeto de pesquisa que propõe o “Desenvolvimento de Software com Técnica de Inteligência Artificial (IA) para Apoio ao Diagnóstico de Câncer de Mama em Mamografia”.

 

De acordo com o professor Josivaldo Godoy da Silva, coordenador da pesquisa, o desenvolvimento desse software irá ajudar em especial os médicos radiologistas como apoio ao diagnóstico. “Isso será um grande recurso ao médico radiologista em função do tempo escasso, da demanda elevada e de mamografias de baixa qualidade, entre outros problemas”.

 

O software, que utiliza técnica de Inteligência Artificial, irá analisar centenas de pontos de uma única mamografia em um curto intervalo de tempo. Testes preliminares apontam que o software poderá avaliar várias dezenas de imagens de mamas no período de uma hora.

 

“Se os resultados efetivamente forem positivos, será um grande aliado da Radiologia no diagnóstico do câncer de mama utilizando mamografia. Pesquisas internacionais apontam que a taxa de acerto poderá ser superior a 70% com o desenvolvimento de software utilizando Inteligência Artificial”, afirma o professor da Faculdade de Engenharias, Arquitetura e Urbanismo e Geografia (Faeng) e da Pós-graduação em Saúde e Desenvolvimento na Região Centro-Oeste (PPGSD).

 

Josivaldo enfatiza que o uso da Inteligência Artificial será um apoio mas que caberá ao médico tomar decisão sobre o diagnóstico. “O software poderá indicar os pontos na mamografia relacionados a presença de nódulos benignos ou malignos”, diz o professor.

 

À medida que evoluir o projeto, o coordenador e os alunos envolvidos farão reuniões com médicos oncologistas e radiologistas para definir e direcionar pontos da pesquisa que contemplem as necessidades que eles possuírem.

 

“A Tecnológica Assistiva inicia-se na área de Nutrição indo até a área de Psicologia, passando pelas Engenharias e Ciência da Computação. Essa área possui demanda em forte crescimento na América Latina devido ao aumento da expectativa de vida que é acompanhada pelos problemas de saúde que surgem com o envelhecimento da população”, explica o professor.

 

No PPGSD, dois alunos de Mestrado pesquisam atualmente na área de Engenharia Biomédica e outros dois de Doutorado na Tecnologia Assistiva.

 

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix