Dourados/MS, Quinta-Feira, 09 de Abril de 2020 |
27˚
(67) 3042-4141
Política
Quinta-Feira, 26 de Março de 2020, 15h:04
Tamanho do texto A - A+

Discurso sobre mortes por H1N1 tem números corretos, mas autoria errada

Vídeo é atribuído ao médico Adib Jatene, morto em 2014; quem fala é o também médico e deputado federal Osmar Terra

Hélder Rafael
Capital News

Deputado federal Osmar Terra e o médico Adib Jatene (já falecido)

Deputado federal Osmar Terra e o médico Adib Jatene (já falecido)

Deputado federal Osmar Terra e o médico Adib Jatene (já falecido)

Começou a circular nas redes sociais um vídeo que atribui ao médico e ex-ministro da Saúde, Adib Jatene, a informação de que o vírus H1N1 matou mais de 700 pessoas no Brasil em 2019, mas que o assunto não teria sido noticiado pela mídia. O depoimento teria sido feito esta semana no plenário da Câmara dos Deputados. A publicação ainda classifica o médico como "autoridade em infectologia no Brasil".

 

Só que Adib Jatene morreu em 2014, aos 85 anos. E era cardiologista, não infectologista. Como político, foi ministro da Saúde nos governos Collor e FHC. Quem aparece no vídeo é o deputado federal Osmar Terra (MDB-RS). 

 

"A H1N1 matou 750 pessoas no Brasil, 2 por dia, e ninguém falou nada. Não saiu uma notícia no jornal", criticou o deputado gaúcho. De fato, morreram no país 796 pessoas no ano passado vítimas de H1N1. Mas é falso afirmar que a mídia não noticia. Apenas para ilustrar, em agosto de 2019 o Capital News publicava que Campo Grande registrou 21 mortes pela doença. E no Estado todo foram 53 mortes pelo vírus, segundo a Secretaria Estadual de Saúde.

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix