Dourados/MS, Terça-Feira, 24 de Setembro de 2019 |
27˚
(67) 3042-4141
Política
Sexta-Feira, 30 de Agosto de 2019, 19h:35
Tamanho do texto A - A+

Vereadores são presos durante sessão de julgamento

Policia Civil cumpriu mandado de prisão e justiça determina a imediata substituição pelos suplentes

Rogério Vidmantas
De Dourados para o Capital News

Dourados News

Dourados Prisão Vereadores

Pedro Pepa (DEM) foi um dos vereadores levados nesta sexta-feira pela Polícia Civil

A situação voltou a ficar tensa na Câmara de Vereadores de Dourados no fim da tarde desta sexta-feira (30). Dois deles foram presos durante sessão de julgamento de Junior Rodrigues, que chegou a ser suspensa. Cirilo Ramão (MDB) e Pedro Pepa (DEM) foram detidos acusados de descumprir decisões judiciais relacionadas ao processo que respondem por improbidade administrativa. Depois, a sessão foi reaberta e a denúncia contra Rodrigues arquivada.

 

Cirilo e Pepa foram levados por um camburão da Polícia Civil para o 1º Distrito Policial onde o mandado de prisão foi cumprido e ambos devem ser levados para a Penitenciária Estadual de Dourados. Ainda segundo o despacho do juiz da 1ª Vara Criminal de Dourados, Alessandro Leite Pereira, o presidente da Câmara Alan Guedes (DEM) deve convocar imediatamente os suplentes Marcelo Mourão e Marinisa Mizoguchi para ocupar as vagas.

 

Cifra Negra

 

Os dois vereadores foram presos no dia 5 de dezembro do ano passado durante a Operação Cifra Negra, que investiga suposto esquema de corrupção na Câmara de Dourados. Foram afastados por ordem judicial uma semana depois e, no último dia 13 de agosto, conseguiram retomar os cargos. 

 

Porém, Cirilo e Pepa tinham conhecimento de que não poderiam reassumir, como o fizeram no dia 19 deste mês, mesmo tendo sido absolvidos de denúncia na esfera cível, em atenção ao indeferimento de medida cautelar por parte do juiz Lucio Rodrigues da Silveira, da 1ª. Vara Criminal do TJMS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul), deferida no dia 26, ao considerar o descumprimento de medidas cautelares que impunham condições ao afastamento das funções legislativas.

 

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix